quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Ilha da Gigóia


Estive hoje num restaurante na Ilha da Gigoia. Fica na Lagoa da Tijuca, bem no centro da Barra. Fomos almoçar lá. Estaciona no Barra Point, um shopping na Av. das Américas, ou no Itanhangá, e só se chega lá de barco. O local é muito charmoso, o restaurante delicioso.

Bem, saindo do restaurante, pedimos para o barqueiro dar uma volta na ilha. É um barco-taxi que vai pegando passageiros entre vários pontos da ilha, do continente.São várias casas, algumas muito charmosas, algumas bem bonitas, com piscina, um terraço gostoso, pier com um barco atracado. Mas estranhamente várias casas muito mal cuidadas, algumas até abandonadas.

Há uma gostosa mistura entre as pessoas que moram lá. Gente muito simples e outras muito bem vestidas. Todos transportados pelos mesmos barquinhos.O lugar é bucólico, tranquilo. Todos se conhecem, existe o mercadinho onde voce anota a compra na caderneta, a pizzaria que entrega de barco, um vizinho cuida do cachorro do outro. Tipico de cidade do interior. No meio da Barra!

É um ótimo lugar pra se morar. É lindo, é no centro da Barra, perto de tudo. O barco é 5 minutos, muito menos que vir da Ayrton Senna ou do Barra Shopping.

O local é um conjunto de várias ilhas - a Gigóia é a principal. As margens da lagoa são um tipo de mangue, com seu cheiro característico, muito mosquito, mas nada que algum investimento e um bom ar condicionado não resolva.

Comecei a perguntar o preço das casas, muito mais barato que eu imaginava - um terreno por R$150 mil, uma casa por 400, 500mil. Fui me animando. Quero morar lá. Quero construir casas pra vender, quero fazer um condominio.

Cheguei em casa, direto procurar site de imoveis. Barato mesmo. Estranho.

Google - noticias sobre a ilha da Gigoia, começo a desvendar o mistério.
As ilhas são propriedade da União, e os moradores tem permissão de uso a título precário.
A Prefeitura não tem lei muito clara de zoneamento.
As casas não tem rede de esgoto. As melhores têm fossa, o que não é muito efetivo. As outras jogam direto na lagoa.
Água vai por um cano de 3 polegadas da CEDAE, que é insuficiente e já está enferrujado.
A Secretaria de Meio Ambiente diz que não pode construir nada por questões ambientais.
O Ministério Publico ameaça demolir tudo, mas não cumpre. Não tem peito pra isso - são 3.000 familias nas ilhas.

Resultado: Nenhum empresário consegue fazer um investimento seguro ali. Apesar de o lugar ser maravilhoso, as casas estão se desvalorizando, e a ocupação irregular está aumentando, o lugar está se favelizando. Lentamente.
Em 10 anos vamos nos perguntar como deixamos isso acontecer.

Por que não posso transformar as 3.000 casas precárias hoje existentes nas mesmas 3.000, mas construidas direito, com todos os cuidados técnicos e ambientais, com efetivo tratamento de esgotos?

Não pode porque não pode, porque tem lei, tem zoneamento, porque é da União, porque não pode vender, porque empresario é ganancioso, etc, etc, etc.

Mas continuar a ocupação irregular pode? A lei diz que não, mas na prática pode sim.
Tanto pode que está acontecendo.

É melhor deixar o mercado imobiliário cuidar daquela região e fazer condominios regulares ou continuar fingindo que não pode e encontrar uma favela em 10 anos?

Não adianta dizer que o melhor seria se a Prefeitura cuidasse, se o Estado investisse.
Faz 100 anos que a Prefeitura está cuidando, faz 100 anos que o Estado está investindo, faz 100 anos que o Ministério Publico fiscaliza.

Ou alguém acha que com o novo prefeito (de qualquer partido) vai melhorar?

2 comentários:

  1. Amigo, nossas administracoes publicas nao tem interesse em simplesmente dar qualidade de vida aos as pessoas, tem que ter um esquema, um nome em placa, uma exposicao para as cameras... algo que enalteça o politico, fora isso, nao rola. dinheiro, esse nao falta, veja que a prefeitura enterrou 600 milhoes de reais na cidade da musica e ela nao prioridade pra nada e ainda nem funciona... mas no casa dessa ilha, eu estava na mesma que voce, ja pronto pra morar la, tinha ate visto preco de barco para passear fins de semana... enfim, fiz uma breve pesquisa e descobri o mesmo que voce, o que vai acontecer, o mesmo que com a querida Paqueta, onde passei otimos momentos da minha infancia, onde aprendi a andar de bicileta.. enfim, abandonada, tomada pela favelizacao, largada de lado... ninguem liga.
    Essas coisas sempre me faz lembrar uma piada, onde deus estava dizendo que ira colocar terremoto em tal pais, maremoto em outro, tornado noutro... e aqui, ahhh aqui seria um lugar lindo, praias, verde... ai um anjo perguntou, mas nao seria injusto sr. Nao, voce nao sabe o tipo de pessoas que vou colocar la.
    espero que tenha encontrado um bom lugar
    eu penso em itacoatiara, mas os precos nao ajudam muito

    forte abraco
    PH

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PH:
      Paquetá deve estar mesmo ruim. Também estive algumas vezes por lá na minha infancia. Hoje nem tenho vontade de voltar.
      E lá teria tudo para ser um polo turistico fantástico.

      Um abraço

      Excluir